...
 

Janeiro branco: Saúde mental é todo dia!

Série especial para comemorar o "Janeiro Branco"



Ano novo, vida nova…


Muita gente aproveita esse período do ano para pensar em como melhorar a forma com que vive, o que vai desde a relação com os outros, com si mesmo, com o trabalho, com o corpo. Fazemos metas e traçamos planos para viver melhor ao longo do ano que chega.


É muito comum que a saúde apareça nesta lista de metas, mas geralmente por meio do olhar focado no corpo: alterar o peso, cuidar do colesterol, da pressão (alta ou baixa), de exames preventivos para monitorar questões específicas, entre outras coisas.


Mas a saúde mental raramente aparece nessa lista.


Isso acontece mesmo com os dados sobre adoecimentos mentais apontando que as condições de saúde mental não são uma questão de uma minoria, já que até 80% da população poderá desenvolver algum tipo de sofrimento psíquico, automutilação, conflito interpessoal e tentativa de suicídio, em decorrência da pandemia, a chamada “quarta onda de Covid”. É uma epidemia silenciosa, precisamos começar a falar sobre isso para reduzir os estigmas, qualificar o debate e democratizar as formas de cuidado.


Saúde mental é um assunto que atravessa nossas vidas e deve ser cuidada todos os dias, de forma permanente, por toda a vida. Precisamos aproveitar a atenção que o tema recebe durante este mês devido às comemorações do Janeiro Branco para aprofundar e qualificar o debate ao longo desse ano todo. E dos próximos também.


Para contribuir com este desafio, nós, do Instituto Cactus, lançamos a série especial Saúde Mental é Todo Dia!, em que divulgaremos uma série de conteúdos sobre saúde mental durante o mês de janeiro para contribuir com a construção de uma nova forma de olhar e cuidar da saúde mental no Brasil.


Mas não falamos de saúde mental apenas na dimensão individual: a saúde mental é impactada por fatores externos e condições de vida, então é importante olhar para a dimensão coletiva e exercitar olhares segmentados para pensar práticas de cuidado em saúde mental.


E também é necessário incorporar a “lente” da saúde mental em políticas públicas e integrar cada vez mais setores sociais para avançar em formas de prevenção e promoção da saúde mental que contribuam para melhorar a qualidade de vida no país. Ou seja, não estamos falando exclusivamente sobre doenças, quando pensamos em saúde mental é preciso compreender que estamos diante de uma questão contínua, que requer cuidados de forma permanente. Saúde mental é assunto para todo dia e para a vida toda.


Toda semana, um conteúdo novo por aqui! Acompanhe a #SaúdeMentaléTodoDia nas redes e não perca nenhum conteúdo.


Muito tem se falado sobre saúde mental após a pandemia, mas ainda existe uma confusão em relação ao que isso significa. E é uma confusão compreensível porque, de fato, estamos falando do resultado de uma complexa interação entre aspectos individuais e as condições de vida.

Preparamos 4 pontos para te ajudar a entender o que é saúde mental em sua profundidade.



A saúde mental já ocupa, ainda que silenciosamente, todas as esferas de nossas vidas todos os dias, de forma permanente. Para avançar no debate e nas práticas de cuidado em saúde mental é preciso partir de algumas premissas básicas sobre o tema.


Pontuamos alguns entendimentos sobre saúde mental muito importantes para nós, aqui no Instituto Cactus, que foram amadurecidos ao longo de 2021.




Nossa saúde é atravessada por uma série de determinantes sociais que podem aumentar ou diminuir o risco de adoecimentos. O acesso a direitos e serviços básicos são fatores determinantes para a efetivação do direito de acesso aos cuidados em saúde mental.


Neste terceiro conteúdo da série especial Saúde Mental é Todo Dia! vamos abordar estes “atravessamentos”.


Próximo post da série em 25/1!


O que é o Janeiro Branco?


A campanha foi criada há 8 anos por um grupo de psicólogos mineiros para chamar atenção para a prevenção e promoção em saúde mental. O mês escolhido foi justamente janeiro porque é uma época do ano em que as pessoas estão dispostas a pensar em resoluções e metas para o ano. O que explica também a cor: é como se fosse uma folha em branco, em que é possível refazer os planos, recalcular as rotas e se refazer para o ano que começa.


>> Saiba mais em janeirobranco.com.br